Nulidades

Enquanto escrevia textos anteriores – Sr. Spock e Conversa em Supermercado –  Lava Jato e grande imprensa não descuidaram de Lula, que se tornou réu pela sétima vez. Como isto não alterou a posição dele junto ao eleitorado – é eleito Presidente em 2018 em todas elas, os inconformados produzem manchetes explosivas, verdadeiros balões furados que não se sustentam quando lidas as matérias que elas titulam.

Começando pela sétima condenação, acho que se vivo fosse, Spock analisaria o fato da seguinte maneira: o líder de um dos planetas da Federação cria uma medida em seu governo, aprovada pelos conselheiros eleitos, dando benefícios fiscais para montadoras de foguetes que se instalassem nas regiões mais pobres do planeta.

A medida tinha prazo de validade e, quando venceu, foi prorrogada pelo novo líder, também após aprovação unânime dos novos conselheiros eleitos. Aí os procuradores de corrupções dizem que o líder que prorrogou a medida (não o que criou) foi corruptado pelas montadoras beneficiadas… E um juiz de chão da capital considera “possível” que o prorrogador tenha se beneficiado da prorrogação, vez que há provas da materialidade e “indícios” da autoria delitiva, não do criador, claro, mas do prorrogador.

Colocando seus dedos sobre as têmporas de um descendente de terráqueos, Spock descobriria que havia precedente do caso no país do Carnaval, quando uma operação chamada Lava Jato definiu que para um líder popular chamado Lula ser condenado, não havia necessidade de provas, apenas de convicção.

Spock concluiria então que, certamente, os klingons fizeram um belo trabalho de cooptação dos jovens de uma geração posterior à dele: juízes, procuradores, policiais, jornalistas, os chamados formadores de opinião, enfim, na faixa dos 40 anos, têm convicções bem consolidadas de que gente do povo não está preparada para governar o planeta… Para o bem da Federação, deviam se contentar em trabalhar, trabalhar, trabalhar…

Já o meu parceiro gremista do supermercado ficaria muito feliz, porque sua decisão de não votar em petista como o Lula estaria sendo respaldada por um juiz, e um juiz de ilibada reputação, premiado no Exterior, ‘merecedente’ até de uma homenagem pública da Rede Globo… plim… plim!

Mas, certamente, continuaria na dúvida: em quem votar, então? Aí, receberia, via zap zap, um post informando que ele deveria votar NULO, porque se houvesse 50% de votos nulo + 1, a eleição seria anulada, nova eleição seria feita e quem se apresentou como candidato na eleição anulada não poderia se apresentar de novo…

Acreditou! E gostou… de uma tremenda besteira! Nas eleições brasileiros, só são considerados, para eleger alguém, os votos válidos… e votos nulos e brancos não são válidos, apesar de qualquer eleitor insatisfeito ter o direito de votar nulo ou branco. De fato, eles têm apenas peso estatístico, já que se somam aos não votantes para “provar” que o povo está “cheio” e não confia em políticos, para uns, ou que o povo não sabe votar, para outros.

Na verdade, esta “campanha” pelo voto nulo nas redes sociais só beneficia quem tem seguidores fiéis, como Lula, líder inconteste da “seita” petista, Bolsonaro e seu batalhão de fascistóides, e Dória, com o ativo e digitálico MBL e outros movimentos ditos de “renovação política”. Porque certamente eles irão em peso às urnas e votarão em seus ídolos, esperando que uma imensidão de brasileiros descrentes da política anulem seus votos, que serão invalidados. E, certamente, ela está sendo difundida pelos partidários de um dos dois últimos, ou dos dois.

Caso eu reencontre o velho gremista e ele venha me perguntar por que eu afirmo isto, direi que esta é fácil, não precisava nem ser jornalista: “Porque, na lista de candidatos que o post abomina, que chama de ruins e que afundam o país, Dória e Bolsonaro não são citados… mas Lula é!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *