Eu e a música (III)

Minha história com a música neste blog terminava ali, ouvindo o Noturno de Chopin. Aí apareceu a Paraíso do Tuiuti no sambódromo e eu percebi que faltava um capítulo nesta história, minha relação com a mais expressiva manifestação cultural brasileira, quando até mesmo a insuperável separação de classes que perdura no país, não impede, nem Leia mais… »

Fundo do poço (I)

Nestes últimos dias, alguns fatos sem qualquer ligação direta entre si, me levaram a pensar que, enfim, o Brasil atingira o fundo do poço. Nos meus quase 60 anos de ‘vida política’ – atento acompanhante da política, dela participando diretamente por vezes, como presidente de Diretório Acadêmico ou como chefe de gabinete de empresa estatal Leia mais… »

E agora, Brasil?

Há um poema do Carlos Drummond de Andrade, publicado pela primeira vez em 1942, que se encaixa terrivelmente bem à perplexidade do momento vivido pelo Brasil hoje, após o julgamento indevidamente político feito pelo TRF-4, que jogou no lixo o que diz juridicamente o processo, para se basear, no final das contas, em matéria do Leia mais… »

Ódio a Lula (II)

De qualquer modo, estas discussões emocionais (intensamente repetidas nas redes sociais) me levam, sempre, à dúvida inicial: por que a classe média odeia Lula?  Outro dia, em conversa com um amigo anti lulista, tentei ir mais fundo nesta questão. Ex colega de trabalho e tendo as origens (filho de profissionais liberais) e o mesmo perfil Leia mais… »

Estou ‘deverasmente’ embasbacado…”

Eu estou ‘deverasmente’ impressionado com o caráter maleável da grande imprensa brasileira, seus comentaristas, seus articulistas, seus especialistas. Eu estou ‘deverasmente’ embasbacado com os defensores intransigentes da família, da moral e dos costumes, figuras sempre presentes em passeatas verde-amarelas pró-retorno dos militares ao poder, eu estou “deverasmente” estupidificado com os bolsominions ou bolsobostons ou os Leia mais… »

Cadê os culhões?

No jogo político (hipócrita? safado? enganador?) que vive o Brasil, há um velho capítulo que reapareceu na mídia e, rapidamente, desapareceu das manchetes: a delação premiada do doleiro Lúcio Funaro (que já saiu da prisão, aliás), delação que, em texto, já tinha sido divulgada, seletivamente como sempre, pela grande imprensa. Quando em vídeo, com o Leia mais… »